Digital VS Tradicional, que estratégia a implementar

Digital VS Tradicional, que estratégia a implementar.

“Já não há clientes unicamente físicos”. A presente afirmação alude ao período de transição entre os espaços físicos e o digital em que nos encontramos.

Não obstante, apesar do considerável aumento no número de clientes digitais, existem, ainda, vários consumidores que procuram um contacto híbrido, entre aquilo que são os canais físicos e digitais.

A experiência do cliente deve, por isso, ser construída pelas empresas, de modo conciso e coerente nos diversos pontos de contacto com o seu consumidor final.

O processo de compra, desde a pré-compra até a pós-compra deve ser cuidadosamente analisado e adaptado às necessidades dos seus clientes, cada vez mais exigentes e tecnologicamente evoluídos.

Mas como será possível atrair e satisfazer uma diversidade tão grande de clientes? O que é que fazem para se destacar num mercado altamente denso?

A resposta às referidas questões centra-se certamente no Marketing. É com base nos princípios do mesmo que a empresa define como se deve posicionar no mercado ou que estratégias adotar para aumentar a sua visibilidade dentro do mesmo. No mesmo sentido, confere as ferramentas necessárias para satisfazer e fidelizar os clientes construindo boas relações com os mesmos e vender bens com valor. Permite, deste modo, gerir os lucros e prejuízos, mantendo a competitividade da organização ou marca.

“Marketing Tradicional ou Digital?” é a grande questão que muitas empresas procuraram resolver. Isto, porque existem benefícios em utilizar ambos, o Marketing Tradicional engloba toda a comunicação de uma empresa feita em canais offline como televisão, rádio, jornais, produtos impressos, entre outros. É o marketing como a maioria das pessoas conhece. Embora tradicionais, nenhuma dessas técnicas caíram em desuso e continuam mostrando resultados eficazes para as empresas que as utilizam. Algumas vantagens que o marketing tradicional oferece são o grande alcance de visibilidade, atingem um público de mais idade, por ser tangível, a comunicação impressa é considerada mais real do que campanhas feitas online e se a campanha gerar atenção, pode tornar-se algo com visibilidade na internet, através das redes sociais.

Já o Marketing Digital são as ações de comunicação ocorridas num ambiente online (sites, redes sociais, email marketing, etc). Algumas das suas vantagens são ter uma maior segmentação, isto é, ser possível criar diferentes mensagens para cada um dos público-alvo da empresa, indo para além de estatutos. A rapidez das ações de marketing, que têm resultados instantâneos

O ideal, devido à rápida evolução do Marketing, nos dias de hoje, é ter um Marketing Omnicanal, isto é, que promova a utilização e interligação simultânea dos diferentes canais de comunicação, com o intuito de valorizar a relação entre o online e offline, aprimorando, assim, a experiência do utilizador.  Marcar a presença em diversos meios dá uma maior credibilidade à marca, pois mesmo nos dias de hoje muitos consumidores não confiam totalmente na internet.

A organização deve, portanto, criar uma experiência que acompanhe o cliente em todo o seu processo de compra e o coloque no centro das operações. A referida abordagem, permite não só obter uma imagem geral e completa das interações entre o cliente e a empresa, como propicia a construção de relações mais personalizadas e duradouras.

A sintonia entre os diversos canais, digitais e físicos, promove, indubitavelmente, o aumento do volume de vendas e a fidelização dos clientes. A recolha de dados, através dos diferentes touchpoints, permite uma melhor adaptação dos conteúdos às necessidades e expectativas do cliente e maximizar a eficiência e visibilidade da marca.

Antes da aplicação de qualquer estratégia de Marketing deve-se, contudo, reconhecer as diferentes tipologias e áreas existentes.

Cada organização deve aplicar aquela(s) que melhor se adequa ao cumprimento dos seus objetivos.

Nem sempre é fácil saber qual é a melhor opção, visto que o que resulta numa certa empresa, não resulta necessariamente noutra. Revela-se, por isso, relevante estimar os custos e estabelecer, com base nos mesmos, o nível de personalização que melhor se adequa à campanha em questão.

Em seguida, serão apresentados os diferentes tipos de Marketing a ter em conta antes da tomada de decisão:

  • Inbound Marketing

O Inbound Marketing caracteriza-se por um conjunto de técnicas e atividades concentradas, com o objetivo de atrair consumidores interessados e transformá-los em leads. Promove, assim, o envolvimento do seu público-alvo, de forma criativa e abrangente, de modo a construir relações de confiança com novos clientes e aumentar a visibilidade da marca, bem como gerar resultados com qualidade e leads qualificados com um custo de aquisição de cliente relativamente baixo.

  • Outbound Marketing

O Outbound Marketing é um processo que permite a identificação de potenciais clientes que correspondam ao perfil ideal delineado pela organização, com base num conjunto de parâmetros ligados às características do cliente, que melhor se adaptam à solução oferecida. Investindo, assim, na segmentação e personificação do produto/serviço.

Nesta estratégia, é a empresa a iniciar a abordagem aos consumidores. Para esse fim, utiliza diferentes métodos tradicionais como ADS ou anúncios de televisão, isto é, campanhas de comunicação e publicidade.

  • Marketing de Conteúdo

O Marketing de Conteúdo é uma das mais antigas e usadas estratégias de Marketing. O objetivo desta abordagem, passa por produzir conteúdos relevantes para os seus consumidores e público alvo sem, contudo, realizar uma promoção direta à marca. Um exemplo desta estratégia é lançar produtos complementares ao produto que pretendem vender de forma a despertar um interesse maior em aderir. Ou então, como foi evoluindo, facultando conteúdos adicionais em canais digitais como Youtube.

  • Marketing Digital

O Marketing Digital é na atualidade, a estratégia mais procurada pelas empresas, principalmente depois da pandemia. Uma vez que permite, simultaneamente, um elevado poder de segmentação e facilita a comunicação entre empresa e consumidor de forma direta e personalizada. A simplificação do modo como os resultados podem ser mensurados permite uma rápida avaliação do estado da campanha e a implementação de ajustes que se considerem relevantes.

Estas estratégias de marketing fazem uso dos diversos canais de Internet, isto é, sites, redes sociais e emails, o que permite um maior alcance do público. Dentro das redes sociais, plataformas como o Facebook, Instagram, LinkedIn, etc ganharam maior relevância fruto da maior interatividade entre a organização e o cliente que permitem. Abordagens como estas, permitem a humanização das marcas, promover um melhor relacionamento com o público e divulgar os valores da marca.

  • Marketing de Relacionamento

Atualmente, os consumidores têm disponíveis uma elevada variedade de opções de marcas, facto que se contrasta com a diminuição do tempo de que dispõem para as analisar. Sendo a razão pela qual, as empresas têm investido mais em estratégias de construção e divulgação da marca de Marketing de relacionamento. O foco, como a própria designação indica, prende-se na criação e fortalecimento das relações com o público, para que os próprios consumidores se tornem, individualmente, os promotores/defensores da marca.

No âmbito desta estratégia, a empresa deve procurar criar experiências e acompanhar o processo de compra desde o seu início, de modo a assegurar a satisfação do cliente e despertar o seu interesse com conteúdos. A chave está em manter o consumidor informado e promover transparência ao longo de todo o processo.

  • Trade Marketing

O Trade Marketing é uma área muito ampla, que atua sobre as relações entre empresas (estratégia B2B), dos mesmos ou diferentes setores empresariais. Realizada através de diversos canais de distribuição, tem como prioridade atender às necessidades específicas do consumidor final do produto, otimizar a rede de distribuição e aumentar o volume de vendas.

Sendo uma das áreas mais exploradas no ramo dos retalhistas e na venda de produtos em pequenas quantidades, tem vindo a ser bastante desenvolvida devido à pandemia.

Uma correta aplicação da referida estratégia promove um maior controlo sobre o modo e eficiência com que os produtos são distribuídos nos diferentes pontos de venda e colocados à disposição do consumidor final.

  • Marketing de Guerrilha

Marketing de Guerrilha é uma estratégia focada na publicidade criativa e pouco convencional de um produto ou serviço, sendo, por vezes, até mais agressivo que outras formas conhecidas de divulgação. Ou seja, tem o objetivo de aumentar o impacto da ação/campanha sobre o público com um investimento baixo.

Devido ao reduzido investimento necessário, começou por ser apenas utilizado em pequenas empresas. No entanto, os resultados positivos que advieram destas iniciativas levaram à adesão, também, de empresas com maiores dimensões como uma estratégia adicional. Denota-se que a maioria destas ações são feitas em lugares públicos e frequentados com regularidade.

  • Marketing Social

O Marketing Social defende a utilização de ferramentas de marketing para a promoção de causas sociais alinhadas aos princípios da empresa. Cada vez mais, os consumidores exigem que as empresas assumam responsabilidade com o futuro do planeta, precisam de ter causas sociais e ambientais de forma a gerar um impacto positivo para a sociedade e reforçar os seus valores, para gerar identificação com os clientes e os atrair para defender a marca.

  • Marketing de Produto

O Marketing de Produto tem como foco gerar procura para um determinado produto. Para analisar o mercado e os concorrentes de forma a definir as estratégias de marketing mais adequadas. A segmentação do público-alvo, e um planeamento alinhado com os objetivos estratégicos do negócio, são elementos-chave para o sucesso da mesma. Trata-se, assim, da base para descrever todo o ciclo de um novo produto, desde o desenvolvimento até ao lançamento.

Leonor Costa

Estagiária Marketing Digital

INSIA – Sistemas de Informação